TBT: DJ Gigi D’Agostino e a reinvenção da música eletrônica

Um de seus maiores desafios era misturar eletrônica com música clássica

Foto: DJ Gigi D'Agostino/Facebook/Divulgação

O DJ Gigi D’Agostino é conhecido por ter reinventado a música eletrônica ao mixá-la com a música clássica. Nascido em dezembro de 1967, o italiano sonhava desde pequeno em crescer no mundo da música.

Não pense você que o DJ começou lá do alto já nos holofotes causando. Mais do que isso, ele não reinventou a música eletrônica no começo da carreira. Seus trabalhos começaram a ser organizados em pequenas festas de diferentes clubes.

Ainda durante sua adolescência, “Gigi Dag” (como ficou conhecido após alçar voo em um pegasus e tornar-se produtor musical) trabalhou como pedreiro, alternando entre as pistas de dança na night e o esforço físico.

DJ Gigi D’Agostino

Quando se fala em balada e pista de dança, as dançarinas de plantão logo ficam eufóricas e procuram uma caixa de som para se coçar. Com o DJ Gigi as coisas funcionavam (e ainda funcionam) dessa forma.

Para experimentar novas formas de tocar, o DJ começou a usufruir do modelo “Mediterrâneo Progressivo”, misturando timbres detalhados, além de músicas latinas e originárias do próprio mediterrâneo. Uma verdadeira salada de criatividade musical que virou o fervo depois.

Antes de colocar a música clássica em seu repertório eletrônico, o DJ alcançou o arco-íris do vale com dois de seus principais hits: “Sweetly” e “FLY”.

VEJA OUTROS POSTS DA SÉRIE #TBT

Após “Sweetly” fazer o sucesso que fez e se tornar icônica, o DJ Gigi D’Agostino juntou-se ao time de Bortolotti, gerente geral da Media Records, que ajudou a alavancar os hits do DJ. Coincidentemente, “Gigi” viveu entre Turin e Brescia durante sua infância, local onde a (pasme!) Media Records estava localizada.

A música melódica

Na metade da década de 90, D’Agostino transformou completamente seu estilo musical, deixando-o mais melódico, misturando músicas clássicas. Como ele já havia alcançado o vale, era preciso surpreender o público descolado para não ser expulso. Felizmente, isso aconteceu, e Gigi foi levado para o harém das bee.

Os hits “Cuba Libre”, “Bla Bla Bla” e “L’Amour Toujours” garantiram que o DJ alcançasse um outro patamar na cena clubber. Inclusive, a última música citada fez parte dos CDs que lhe garantiram o Disco de Platina, em 1999.

Após se consolidar no ramo, D’Agostino ganhou um super programa numa rádio italiana de 2005 a janeiro de 2010. Chamado de “Il Cammino di Gigi D’Agostino” e “Quello che mi piace “, ele pegava músicas de outros DJs e fazia sua mixagem pessoal de música eletrônica.

Onde e como está D’Agostino?

Está muito bem, obrigado. O DJ “Gigi” está rodando o mundo em sua turnê dando um upgrade. De acordo com seu site oficial, sua agenda está cheia até dezembro deste ano.

D’Agostino não sumiu, foi apenas levar alegria em outros vales mundo afora.

Deixe uma resposta

Baixe a segunda edição da Revista Clubbing

Vai chegar no seu email!

X